Nascido em Feira de Santana, primeira cidade do interior da Bahia, o menino Marco Lázaro recebeu a graça do santo batismo na Igreja Catedral de Senhora Santana, conforme costume de seus pais católicos, a saber: Sr. Leovegildo de Jesus Dias e Sra. Maria Valdecy Mendes Dias. Desde cedo despertou para o engajamento no mundo do trabalho, apesar de ter vivido uma infância muito sadia na companhia de pipas e bolas, sem falar de outras traquinagens bem sapecas.

Mas, foi no estádio da Jóia da Princesa, em Feira de Santana, que depois de ter vendido pelas ruas da cidade, picolé, através da venda de cocada nas arquibancadas, iniciou uma nova jornada em sua vida. Isto é, passou a ser gandula do campo do estádio e despertou seu veio de comunicador ao entrevistar o jogador Dadá Maravilha, num clássico de do futebol do Estado entre Bahia x Fluminense de Feira de Santana. Dai em diante, tendo sido entrevistado pelos repórteres de televisão e rádio, que cobriam o jogo, fora convidado, fora convidado pelo locutor Itajay Pedra Branca e seu colega Dilton Coutinho para conhecer os estúdios da emissora, Rádio Sociedade de Feira de Santana dos Frades Capuchinhos e, de lá para cá, nunca mais deixou de falar e cantar as coisas do Senhor Jesus.

Portanto, foi assim que o menino de pipas, bolas e outras traquinagens iniciou sua vida religiosa como sacristão da Igreja Santo Antônio dos Capuchinhos, em Feira de Santana, assistido pelo Frei Ubaldo Pecci, passando depois a ser o Frei Marco Lázaro. Hoje, com formação fundamental na vida franciscana, é sacerdote incardinado na Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro, com formação complementar na área de Marketing e Bacharel em Direito.
Este locutor não está apresentando em nenhum horário